Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Apresentação

       

A Engenharia de Materiais tem como atribuições gerais a supervisão, estudo, projeto, especificação, assistência, consultoria, perícia e pareceres técnicos; ensino, pesquisa, ensaio, padronização, controle de qualidade; montagem, operação e reparo de equipamentos e outras atividades referentes aos procedimentos tecnológicos na fabricação de materiais para a indústria e suas transformações industriais; e equipamentos destinados a essa produção industrial especializada, seus serviços afins e correlatos.

Tradicionalmente, a Engenharia de Materiais se divide na criação, estudo, transformação e uso dos materiais sistematizados para foco de estudo em três grupos; metais, cerâmicos e polímeros. Além destas três classes, quando o material é produzido pela composição de mais de uma classe são tratadas como compósitos – por exemplo, as resinas misturadas com fibras de vidro ou carbono. E os avanços da Engenharia proporcionam naturalmente subclasses, dependendo das propriedades como foco de estudo e desenvolvimento, tais como: os biomateriais, semicondutores, materiais fotônicos, supercondutores, metamateriais, bem como outras categorias definidas pelo setor de aplicação, como os materiais para construção naval, construção civil, para a indústria de óleo e gás, nuclear, aeroespacial, médico-odontológica, entre outras.

Um aspecto interessante que se observa no mercado de trabalho brasileiro é a possibilidade de Engenheiros de Materiais conquistarem posições de destaque nas indústrias não somente na área técnica, mas também em áreas de marketing, de assistência técnica e de vendas ou comercial. Isso ocorre porque a formação incorpora competências de muitas áreas do conhecimento, formando um profissional com grande capacidade de atuação técnica, visão estratégica, capacidade de análise refinada e competência para gestão de projetos complexos. Entretanto, o ciclo básico do curso exige uma sólida formação científica em física, química e matemática. Este perfil torna o engenheiro de materiais peça chave na organização que precisa aliar a competência técnica com a desenvoltura no trato com clientes e fornecedores, dando à esta profissão grande destaque nos quadros de empresas líderes da indústria mundial, como Braskem, Petrobrás, Vale, Embraer, Dow Química, Volkswagen, dentre muitas outras.

No Sul e Sudeste do Pará, o grande destaque está na extração mineral e siderurgia, vocações da região; a Unifesspa formou muitos dos engenheiros de materiais hoje atuantes em empresas de grande importância regional, como Vale e Sinobrás, entre outras. Mas há também enorme potencial para novas oportunidades ainda pouco exploradas, como as áreas de reciclagem de materiais, transformação de madeira, indústria de plásticos, de móveis, fundição e ferramentaria; de transformação de couro, produção de fibras vegetais, de materiais especiais para arquitetura e construção civil, de produtos e equipamentos médicos e odontológicos; para os setores de manutenção industrial, fabricação de máquinas e prestação de serviços para a mineração; entre muitas outras áreas.

Certamente, a Engenharia de Materiais é uma carreira que reserva um futuro brilhante para os profissionais a ela dedicados.

Para conhecer mais sobre a profissão, sobre o curso de Engenharia de Materiais da Unifesspa, sobre oportunidades de atuação no Sudeste Paraense e no Brasil, entre outros aspectos, agende uma conversa por videoconferência com o Prof. Gustavo de Paula, diretor da Faculdade de Engenharia de Materiais da Unifesspa e com a equipe da Faculdade de Engenharia de Materiais. Será um prazer poder falar mais sobre esta incrível área do conhecimento.

registrado em:
Fim do conteúdo da página